segunda-feira, 15 de outubro de 2012

FALA GALERA! ALERTA JÁ!



O Trânsito em Jacarepaguá (Matheus Rodrigues)

Nosso bairro, Jacarepaguá, está vivendo ultimamente vários problemas. Porém, o trânsito é o pior. Está insuportável!
Além do aumento enorme no número de carros, existem pessoas que não respeitam as leis, o que dificulta mais ainda. Além disso, acidentes têm acontecido constantemente, e com isso, engarrafa ainda mais as vias de maior movimentação.
A prefeitura poderia fazer melhorias para as pessoas e para o trânsito, como melhorar o transporte público, ciclovias, colocar guarda nas ruas, proibir o estacionamento de carros nas calçadas. 

 
O lixo em Jacarepaguá (Pedro Thurler)

O lixo (tema discutido no trabalho) é um grande problema do bairro Jacarepaguá, pois deixa a paisagem feia, com mal odor, causa doenças e etc. Algumas pessoas não tem consciência do que estão fazendo, e jogam lixos (de todos os tipos) nas ruas, em buracos, calçadas entre diversos outros lugares. As pessoas acham que “só colocar mais lixo não vai causar problema” ou que “é assim que vou fazer o gari trabalhar”, sendo que estão completamente erradas, pois então contribuindo para o entupimento de bueiros, contaminação da população entre outros problemas. Pode-se concluir que o lixo deve ser jogado nas lixeiras.


Adeus às árvores. Viva os prédios! (Natália Ferreira )

O desmatamento florestal não é uma atividade que surgiu de repente, e sim uma herança cultural que vem sido transmitida entre nós, por meio de nossos antepassados.
Com o aumento populacional, é necessária a construção de novos empreendimentos imobiliários, capaz de suportar tal população, então nós retiramos as árvores e construímos os prédios, devastando as flores e diversas espécies de animais que nela habitam.
As árvores são as grandes responsáveis por renovar o ar, que a cada dia se encontra mais impuro.
O governo deveria propor metas, visando o desenvolvimento sustentável, pois assim, iríamos reaproveitar mais os recursos naturais, preservando o meio ambiente.
É indescritível o valor das árvores para humanidade, pois além de renovar o ar e servir de abrigo para diversas espécies, elas são as responsáveis de dar mais beleza à nossa cidade, e ao nosso bairro.
É necessário que todos nós, repensemos o modo pelo qual estamos agindo com a natureza, com as árvores, evitando assim a devastação e o fim da beleza de Jacarepaguá.

 
Adeus as árvores! Viva os prédios! (Julia Gomes Tasca)

Muitos campos verdes hoje são prédios porque cada vez mais as áreas verdes de Jacarepaguá vão sendo destruídas para a construção de condomínios. Muitas construtoras dizem que em seus prédios vai haver árvores, mas em muitas situações as plantas são falsas. Cada vez mais quando se passa pelas ruas nós vemos mais de cinco prédios construídos em uma só rua, se continuarmos assim Jacarepaguá não terá árvores e quando passearmos pelas ruas a beleza de Jacarepagua não ira existir.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ADEUS AS ÁRVORES. VIVA OS PRÉDIOS!


ACOMPANHE NOSSA AULA E APRESENTAÇÃO DO TRABALHO.
ASSISTA AO NOSSO VÍDEO!
video

DENÚCIA URGENTE! REPÓRTER INVESTIGATIVO!

DENÚNCIA! 

Érea verde rodeada por prédios na Freguesia (Jacarepaguá - RJ). 


Sossego em Jacarepaguá? Moradores desmentem propaganda imobiliária

Luis Philipe Souza | Rio+ | 12/06/2012 16h57
 Anúncios imobiliários dizem que viver na região de Jacarepaguá e adjacências é ter contato com a natureza e reencontrar o sossego. Este é o principal "produto" que construtoras e corretoras vendem para fomentar a habitação em massa de alguns bairros da Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. No entanto, moradores antigos da região disseram ao SRZD que a realidade vendida passa longe do que realmente se vê.
Trânsito insuportável, crescimento sem planejamento, desmatamento e desrespeito ao patrimônio histórico estão no topo da ata de reclamações do movimento "S.O.S. Freguesia e Jacarepaguá".
Moradora do bairro da Freguesia há 32 anos, a ecomilitante Marília Castro diz que o problema é generalizado. Segundo ela, a situação se agravou quando em 2004 foi aprovada uma mudança que aumentou o gabarito de construções da região.
"Antigamente aqui tinha muitos sítios grandes, onde tinha somente uma casa e viviam poucas pessoas. Agora são prédios atrás de prédios, onde no mesmo espaço vivem milhares. Eles (imobiliárias) vendem os prédios falando do contato com a natureza, mas na verdade eles estão é desmatando uma boa parte da mata", afirmou, acrescentando que hoje em dia não recomendaria o bairro como um bom lugar para se viver.
Outra moradora que também faz parte do movimento é Gisela Santana. Urbanista, ela atentou para o fato de a maioria das 16 mil unidades prediais construídas desde 2004 não apresentarem redes de esgoto.
"Jacarepaguá é uma das áreas mais desprovidas de esgoto. Não tenho números, mas grande parte desses novos prédios ligam o esgoto na galeria pluvial. Isso não é (rede de) esgoto", argumentou.
Associação apresenta denúncias ao MP
A Associação de Moradores e Amigos da Freguesia (AMAF) está à frente de denúncias ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público Federal para tentar brecar a rápida transformação que a região apresenta. No entanto, o presidente da Associação disse ao SRZD que diversas tentativas de negociação com autoridades já foram feitas, mas que agora eles tentarão ser ouvidos diretamente pelo prefeito Eduardo Paes.
"Tentamos nos reunir com a Secretaria de Urbanismo e não arrumamos nada, fomos no subprefeito e também não resolvemos nada. Agora a gente já partiu para uma mobilização mais direta pra ver se a coisa funciona. A Freguesia está virando um caos e queremos que isso pare. Sei que não se consegue reverter a situação, mas queremos que pelo menos recupere um pouco", afirmou.
No próximo dia 23, uma manifestação no Largo da Freguesia coletará assinaturas para o abaixo-assinado para ser entregue ao prefeito da cidade.


 

sexta-feira, 5 de outubro de 2012